Engravidar fora do período fértil? É possível?

Engravidar ou não engravidar é sempre algo que preocupa as mulheres. Algumas tentam fazer de tudo para não engravidar. Outras fazem tudo o que é possível para o conseguirem.

Neste caso em particular vamos dar a resposta a uma pergunta que gera controvérsia ao longo dos tempos. É possível ou não engravidar fora do período fértil? 

É possível engravidar fora do período fértil?

Esta pergunta não tem uma resposta simples, nem direta. No entanto, não é impossível que ocorra uma gravidez neste período.

Regra geral, para que haja uma gravidez, é necessário que exista o processo de fecundação. Ou seja, o espermatozoide tem de fecundar o óvulo. E a altura mais propícia para que isso aconteça é durante o período fértil. Contudo, pode haver algumas exceções.

Existem duas situações nas quais você pode ficar gravida, mesmo não estando no seu período fértil. São elas:

  • Caso o espermatozoide consiga sobreviver tempo suficiente para encontrar um óvulo. Mesmo que se tenha passado muitos dias após a relação sexual.
  • Ou caso a mulher tenha uma ovulação provocada por um pico de adrenalina.

No que diz respeito ao primeiro caso, a explicação é um pouco mais difícil. O tempo de vida dos espermatozoides é, por normal, bastante curto geralmente 48 horas. Contudo, existem estudos científicos que provam que um espermatozoide consegue sobreviver até sete dias dentro do corpo de uma mulher. No entanto, em casos mais extremos e raros, alguns conseguem sobreviver entre quinze a vinte dias após a relação sexual. Sendo assim, nestes casos, é fácil que ocorra uma gravidez fora do período fértil.

Quanto ao segundo caso, a explicação é fácil. Algumas mulheres podem ter um pico de adrenalina, até mesmo durante a relação sexual, ocorrendo assim uma ovulação extra. Por isso, se esse óvulo for fecundado, existe a hipótese de uma gravidez. Esta é muitas vezes uma das principais razões apontadas para as mulheres que conseguem engravidar com muita facilidade.período fértil

 

Métodos contraceptivos

métodos contraceptivos

Estas exceções são os motivos pelos quais os profissionais de saúde aconselham a que, caso não queira engravidar, se proteja de forma correta e não apenas através dos seus cálculos.

É muito importante que sempre que tenha relações sexuais use métodos anticoncepcionais. Por exemplo, o preservativo e a pílula. No caso de estar numa relação estável em que não existe o risco de contração de doenças sexualmente transmissíveis, não é obrigatório o uso do preservativo, mas não se pode desleixar no uso de outros métodos.

Lembre-se que a pilula do dia seguinte e, muito menos, o aborto, não são métodos contraceptivos. Não se agarre na sorte, proteja-se.

Tem conhecimento de casos de mulheres que já engravidaram mesmo não estando no período fértil? Partilhe conosco a sua opinião.

Leave a Reply

Close Menu